Mónica Guerra

Ultimamente mais carioca, nascida no Porto, em Portugal, Mónica Guerra da Rocha carrega o sotaque da terrinha, com o jeitinho de falar que aprendeu pelo Brasil. Apaixonada por conversas profundas, músicas lentas, pôr do Sol de Outono e fases lunares. Adora escutar estórias e anda tentando contar algumas, sobre ela e o mundo que vê. Fez faculdade de arquitetura, fez mestrado de urbanismo, trabalhou em várias ongs, numa teimosia cada vez maior de deixar o mundo um pouco melhor quando do que encontrou quando aqui chegou. Obcecada por coerência, Leonina com ascendente em Áries, dá pitaco sobre tudo e adora ver as coisas sob vários pontos de vista, e tem total segurança e certeza de que o que mais muda o mundo é a nossa relação com a comida, o momento que engolimos quem queremos ser. Eco-Feminista, percebeu da sorte e a potência que é ser mulher quando entendeu que carregava dentro dela mesma um micro universo cíclico e regenerativo. Desde então, os processos se tornaram abundantes, se fez mais natural e conectada, e vive transformando discursos lineares em possibilidades circulares, diálogos em mandalas. Sente-se poderosa quando cozinha, quando come, quando compartilha, quando escuta e quando menstrua. Fundou o Comida do Amanhã, para espalhar essa visão sistêmica e desafiar formas de trazer perguntas e respostas que nos ajudem a regenerar o planeta, reconectar os seres e valorizar nossa potência e abundância, através da comida.

Instagram: @comidadoamanha
Site: www.comidadoamanha.org